Incendiar é divertido

escrita, opinião, reflexão

   Em Portugal, incendiar parece um jogo de suma diversão. Todo o espetáculo é apresentado, em grande estilo, nos canais de televisão aberta, preenchendo minutos e minutos dos noticiários, que dão conta dos hectares de terreno ardido, casas, animais, … e até pessoas que não resistem ou foram apanhadas desprevenidas.

Enquanto isso, no seu sofá, talvez na sua maioria em plena bebedeira, os incendiários responsáveis têm orgasmos de prazer com os seus feitos e ganham novo ânimo para perpetuar os crimes. Sabem que, caso apanhados em flagrante ou depois, rapidamente serão libertados. Mesmo que se trate, em alguns casos, de uma patologia, a obrigatoriedade ao cumprimento de um tratamento de saúde mental não existe. Dá-se lugar a inusitados reacendimentos e a focos de incêndios nas proximidades. Certamente que, para estes, foi uma ou várias punhetas bastante agradáveis, à custa da destruição e sofrimento alheio.

   Atenda-se à situação do passado dia 11 de agosto, durante a tarde, aqui fotografada e cujos focos de incêndio foram, inicialmente atribuídos a um comboio em circulação.

 

incêndio em SCD AG16 - 3

Incêndios entre Sta Comba Dão e Carregal do Sal – 11 de agosto de 2016

   Em primeiro lugar, apesar dos focos de incêndio seguirem, mais ou menos a linha de comboio, convém referir que este circula a eletricidade e não a carvão. Por outro lado, quando há algum problema devido à superfície de contacto do comboio e a linha, este meio de transporte é imediatamente imobilizado e feito o transbordo dos passageiros. Assim já aconteceu durante os longos anos em que lecionei no distrito da Guarda, utilizando sempre este meio de transporte. A ideia que dá, corroborada por alguns soldados da paz, é a de que existia alguém no interior do comboio que ia apeando os incêndios, estando em sintonia com outra pessoa que percorria algumas localidades. Só assim se explica que tais focos tenham surgido em simultâneo, bem como os reacendimentos.

   Parece-me perentório afirmar que estamos perante uma forma de terrorismo. O que aconteceu à nossa ilha da Madeira? No Norte e Centro do país? Quantas espécies destruídas, influências ao nível litológico, alterações da concentração de dióxido de carbono na atmosfera, destruição da camada de ozono e concomitante aumento do efeito de estufa e do número de casos de cancro; a longo ou curto prazo, direta ou indiretamente. Quantos ecossistemas destruídos!

   De uma vez por todas, veja-se esta problemática como forma de terrorismo e atenda-se às verdadeiras consequências. Uma casa pode construir-se de novo. O nosso planeta não. Quem é que nos ataca? Tantos são os interessados, para além dos óbvios.

   Para terminar, partilho um vídeo que a Câmara Municipal de Santa Comba Dão elaborou como forma simbólica de agradecimento aos Bombeiros. Simbolismo de suma importância. Aliás, o que faltou para com os ex-combatentes da Guerra do Ultramar.

 

Anúncios

2 thoughts on “Incendiar é divertido

  1. Que coisa horrível, Paulo. Tenho visto, aqui e acolá, algumas notícias. A única coisa que me resta, pela distância, é solidarizar-me… mesmo de longe. Dá vontade de pegar quem começou (começaram) e bater, bater, bater, bater e bater. Depois jogar sal grosso e obrigar o infeliz a trabalhar no mato, de sol a sol. Quero ver fazer de novo…

    Gostar

    1. Assim é Portugal. Horrível, sem cumprimento de leis por parte dos criminosos.
      Os policiais conseguem descobrir a maioria destes incendiários, mas depois nada acontece. À semelhança dos políticos!

      Gostar

Deixe a sua opinião.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s