As Bruxas do Império Novo I

literatura

Tenho que te escrever. Na cólera que me atravessa, nada se me ambiciona. O pensamento num turbilhão de sentimentos anis, turvos, revoltos e salgados, quase intragáveis. E a raiva que não me sai dos olhos. A injustiça que miro e que decorre deste viver que já nos penaliza tanto e que eu não me conformo, não me conformo… O algo verdadeiro que não consigo sentir, e tudo o mais não sei… nada sei. O que sei é que tudo poderia ser diferente, para talvez sorrir com alma, porque afinal de contas, sem alma o sorriso não brilha.

As Bruxas do Império Novo, Francisco Grácio Gonçalves

Advertisements

4 thoughts on “As Bruxas do Império Novo I

  1. Que perfeição de texto. (…) sorrir com alma, porque afinal de contas, sem alma o sorriso não brilha. Não sei porque mais essa frase mim lembrei de pessoas depressiva.

    Gostar

Deixe a sua opinião.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s