Liberdade Apunhalada

literatura, republicação - reblog

Um poema de Célia Moura, a publicar “Terra de Lavra” e que tão bem traduz uma das minhas vertentes revivalistas.

      A ler e saborear

© Célia Moura

11201871_851478134936010_9057051717627416800_nLiberdade Apunhalada
Pertenci às eras mais distantes,
Onde tudo o que era subtil era mesmo subtil
E o que teria que ser intenso
Tinha o odor a terra acabada de fecundar

Ver o post original 415 mais palavras

Anúncios

Deixe a sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s