O Poliamor

7.ª arte, reflexão

– Se eu te amo?

Essa questão não faz sentido. Amo-te da mesma forma e com a mesma intensidade que amo B. .

Convosco partilho os meus dias, as minhas dores de alma, a minha casa, as minhas alegrias, a minha cama… Por que não posso partilhar também o meu coração? Não compreendo a tua postura nem essa revolta. Nunca te usei. Acredita: amo-te da mesma forma. Nunca dividi o meu amor!” (Miguel, 24 anos)

O que é o poliamor?

Anúncios

6 comentários sobre “O Poliamor

    1. Oi, Mariel.

      Estou na tua barca, como referi no comentário resposta à Ingrid.
      Não podemos dizer “nunca” mas… seria algo sobretudo carnal, penso! Não consigo encaixar os afetos. :/
      Abraço.

      Curtido por 1 pessoa

  1. Paulo, achei bem legal esse post com esse vídeo. Acho que eu nunca conseguiria manter um relacionamento poliamoroso, seja pelo meu infinito sentimento de possessão ou pela questão de atenção mesmo, mas admiro quem consegue!
    Beijos do Brasil!!

    Curtir

    1. Olá, minha querida Ingrid.

      Também eu padeço, um pouco, do sentimento de possessão e necessito de atenção. Como tal, creio não conseguir manter um relacionamento poliamoroso. O ciúme ou o sentimento de desconforto falariam mais alto. Pelo menos, assim me parece. Mas bom seria recolhermos várias opiniões.
      Beijos mil.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe a sua opinião.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s