Não Anseies a Felicidade

diário, escrita

Antoine d’Agata 2012

Quantas vezes a observei, por momentos tenha admirado, mas tão raramente a consegui fotografar?

Estranho pois, ao olhar para um elemento, normalmente capto a sua alma. O meu 6.º sentido.

Existem seres sem alma?

Do seu olhar, uma mão de nadas, impenetrável e sem dimensão.

Dissemina cultura – aquela adquirida nos livros (frases feitas!), sem qualquer aplicação prática. Do seu interior brota arrogância, cinismo e o doce veneno delicadamente destilado.

Patologia? Não sinto a sua dimensão emocional. Não a percepciono!

Acredito que não exista qualquer felicidade no seu interior. Sobretudo, porque não é amada. Vive e alimenta-se da sua arrogância. Nada mais.

Nem todo o universo é infinito…

Advertisements

Deixe a sua opinião.

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s